Tudo que uma pessoa com diabetes precisa saber sobre saúde bucal

diabetes e saúde bucal

Existe uma grande relação entre a diabetes e saúde bucal, principalmente porque ambas apresentam um “vilão” em comum: o açúcar. 

Além disso, interferências no corpo acontecem devido a elas, sendo que uma pode ampliar os sintomas da outra, bem como a necessidade de cuidado com a saúde de um modo geral. Assim, é preciso entender e ter atenção devida a esse mal que pode afetar o bem-estar.

Diabetes no Brasil

Na prática, a diabetes é uma doença crônica que faz com que o corpo não produza insulina ou em que a produção não é suficiente para absorção do açúcar.

A produção desse elemento é crucial para o funcionamento do corpo, pois é a insulina que atua contra a quantidade de glicose no sangue e consegue fornecer a energia ideal para as atividades diárias.

Para se ter uma ideia sobre a doença, o Brasil tem mais de 13 milhões de pessoas diabéticas atualmente, o que representa 6,9% da população, segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes

Ainda de acordo com esse órgão, o número vem crescendo a cada ano por diversos motivos, como os hábitos alimentares. 

Existem casos em que o diagnóstico é demorado, o que favorece o aparecimento de complicações no coração, artérias, olhos, rins e nervos. Inclusive, em casos mais agravados, o diabetes pode levar até à morte. 

Diabetes e saúde bucal

A diabetes pode influenciar na saúde bucal tanto quanto as doenças na cavidade oral podem prejudicar no controle da glicose. É uma relação mútua e que chama a atenção de todos para os cuidados necessários. 

Pesquisas apontam que pessoas com diabetes têm maior risco de terem, como uma das consequências, problemas bucais, como a gengivite – estágio inicial de doença na gengiva.

Além disso, sem os devidos cuidados, pode-se desenvolver a periodontite – estágio avançado de doença na gengiva, podendo ocasionar em perda óssea. 

Isso acontece porque os diabéticos, em sua maioria, são mais suscetíveis às infecções bacterianas e possuem menor capacidade imunológica de combate a esses agentes, bem como às bactérias que invadem o tecido gengival. 

Nesses casos, perdas dentárias podem acontecer e, com isso, se não forem tratados, os espaços deixados podem aumentar o risco de proliferação de bactérias. 

Por isso, é recomendável que o paciente procure sobre o valor de um implante dentário para colocá-lo e prevenir complicações. 

Como tratar doenças na gengiva

A gengivite pode ser tratada com a eliminação do tártaro e da placa bacteriana que causam a inflamação gengival. Nos casos mais simples, o dentista consegue remover o tártaro ou cálculo dental que está irritando a gengiva na limpeza profunda dos dentes. 

Já nos casos mais graves, de aparecimento de periodontite, o dentista pode recomendar o uso de medicamentos, além da limpeza profunda e/ou raspagem.

Desse modo, é possível reduzir e eliminar o crescimento de bactérias na boca e podem ser usados em forma de comprimido ou como enxaguante bucal. 

O problema pode afetar os dentes?

Sim, doenças nas gengivas podem afetar os dentes, justamente por estarem ligados. A proliferação de bactérias pode atingir o esmalte do dente diretamente, causando doenças e alterando a coloração da arcada dentária.

Nos casos de cáries, é preciso fazer o tratamento de canal. Caso o dente tenha a sua pigmentação afetada, sendo manchada ou amarelada, a odontologia também oferece o clareamento dental.

Esse procedimento estético consegue recuperar e melhorar a coloração dos dentes em até sete vezes. 

O tratamento pode ser feito por meio do uso de uma moldeira impressa em forma 3D e com uso diário sob supervisão do profissional; ou com laser no consultório tendo resultado mais ágil. 

Também existem casos em que a arcada dentária ficou comprometida, seja de forma unitária, parcial ou integral.

Com isso, se faz necessário um cuidado maior do paciente em seu cuidado diário, bem como do profissional que terá de retirar todas as impurezas no espaço, com os devidos instrumentos, e fazer o processo da colocação de um implante dentário para restabelecer sua funcionalidade e saúde. 

Cabe ainda dizer que a diabetes pode favorecer doenças periodontais, devido às mudanças que ocorrem na cavidade oral, como o desequilíbrio do pH.

Cuidados

Basicamente, os cuidados com a saúde bucal estão relacionados à higienização da boca e alimentação. Contudo, para pessoas que sofrem com problemas de glicose e diabetes, esses cuidados precisam ser redobrados. 

Conforme foi falado no início do artigo, o açúcar é um inimigo para o corpo e para os dentes e deve ser evitado, podendo ser substituídos por adoçantes e xilitol.

Além disso, os principais cuidados com higienização bucal são:

  • Fazer a escovação correta ao final de cada refeição;
  • Passar fio dental todos os dias;
  • Bochechar enxaguante bucal por 30 segundos;
  • Ir ao dentista a cada seis meses.

Os cuidados com a higienização bucal precisam ter mais atenção principalmente para quem utiliza de aparelho dental invisivel, em que os resíduos alimentares presos nos dentes estão em maior evidência e favorecem a formação de placas.

É preciso dizer ainda que a hidratação frequente é crucial para manter o fluxo salivar de forma correta, promovendo a limpeza natural da boca e reduzindo a acidez da cavidade.

Além disso, manter a glicose regulada, com auxílio dos profissionais de saúde – clínicos, especialistas e odontologistas – é crucial para a saúde como um todo, preservando a cavidade oral e o pleno funcionamento do corpo.

Blog com o objetivo de democratizar o conhecimento sobre diabetes e as formas de se prevenir e também cuidar dessa doença. Aqui você também encontra os melhores produtos para controle de glicemia.
Post criado 17

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.