Quando é indicado o uso de insulina?

insulina

A insulina normalmente é indicada nos casos do diabetes tipo 1, como também em portadores do tipo 2 que não estão respondendo de forma adequada à medicação oral.

O ideal é que essa indicação seja feita por um endocrinologista que deve considerar as peculiaridades de cada paciente. A prescrição da insulina deve ser considerada se os níveis de glicose em jejum permanecerem acima de 200 mg/dL por um longo período.

Para saber mais sobre como a insulina deve ser aplicada, bem como os benefícios que agregam para a saúde do paciente, continue a leitura desse post.

Insulina: sua importância para diabetes tipo 1 e tipo 2

Muitos pacientes ficam ansiosos diante da prescrição da insulina, porém, saber que ela é capaz de ajudar no controle do diabetes e ainda evita futuras complicações é animador.

Inicialmente, a insulina deve ser indica ao paciente que for diagnosticado com diabetes por meio de exames específicos. Como a glicemia em jejum, TOTG (teste de tolerância oral à glicose) e dosagem de hemoglobina glicada.  

É preciso salientar que no paciente com diabetes tipo 1, há a obrigatoriedade da injeção de insulina, visto que nesse organismo esse hormônio não é produzido.

Assim sendo, além de ser responsável por corrigir essa falha no organismo, ainda previne possíveis complicações provenientes do diabetes.

Já para os pacientes com diabetes do tipo 2 o uso da insulina é devido principalmente aos fatores ambientais e genéticos, como sedentarismo e má alimentação.

Portanto, quando os medicamentos hipoglicemiantes deixam de ser suficientes, essa é a alternativa mais assertiva para promoção do maior controle da glicose no sangue.

Como a insulina deve ser aplicada?

Para os pacientes que fazem uso das canetas, antes da aplicação da dose, o fluxo da insulina deve ser verificado, garantindo que o aparelho esteja ajustado para 2 unidades.

No momento da aplicação, a caneta deve estar na posição vertical e voltada para cima. Em seguida, apertar o botão de aplicar, repetindo o processo até que a insulina apareça.

A agulha deve ser inserida na pele em um ângulo de 90º e, assim que aparecer o número 0, conte 10 segundos para garantir que todo o conteúdo foi injetado, retirando a agulha em seguida.

Possíveis nódulos ou alterações na pele podem ocorrer caso a aplicação seja feita sempre no mesmo local.

Por isso, faça um rodízio das áreas aplicadas para evitar essas lipodistrofias.

A saber, as áreas comumente utilizadas para a aplicação da insulina são:

  • Abdome;
  • Nádegas;
  • Coxas;
  • Parte externa do braço.

Lembrando que a aplicação da insulina deve ser evitada em cicatrizes e em volta do umbigo, respeito o limite de 5 centímetros.

Outro detalhe relevante é que o uso da agulha deve ser restrito a uma única aplicação, já que, por serem muito finas são mais frágeis, a sua reutilização pode também causar mais dor.

Dicas para facilitar o monitoramento da glicose em casa

Atualmente, vários equipamentos são disponibilizados no mercado para que o paciente possa ter o maior controle da glicose, o que facilita bastante.

Que vão desde aparelhos medidores, além de lancetas e tiras reagentes que podem ser indicados pela equipe multidisciplinar depois de alguns testes de adaptação para cada paciente.

Porém, para que essa aferição da glicose seja feita de maneira tranquila e eficiente, é essencial seguir algumas dicas.

1.    Evitar o uso de álcool

A assepsia das mãos antes da realização do teste é essencial, contudo podem ser utilizados apenas água e sabão.

Pois o álcool além de afinar as mãos ao longo do tempo, pode tornar o exame mais doloroso, devido a sensibilidade da pele.

2.  Facilitar o fluxo sanguíneo

Provavelmente você já tenha notado que muitas pessoas ao realizar o teste de verificação da insulina, costumam espremer o dedo para conseguir a amostra de sangue necessária.

Existem alguns meios para facilitar esse exame:

  • Higienizar as mãos com água morna;
  • Deixar o braço pendente verticalmente ao longo do corpo por 1 minuto;
  • Fazer massagem em todo o dedo, de forma delicada;
  • Para evitar sangramentos e hematomas após o uso da lanceta, pressionar o dedo com lenço de papel limpo por 10 segundos.

3.  Uso das lancetas

O mais indicado é que após o uso, a lanceta seja descartada, porém, com o objetivo de reduzir os gastos, muitos pacientes acabam por reutilizar esse material.

Para que o reuso da lanceta seja liberado, o ideal é que seja avaliado pelo médico ou enfermeiro que faz o acompanhamento do paciente.

4. Variar o local do exame

É importante evitar a realização do exame sempre no mesmo local. Uma boa alternativa é dar preferência para as laterais dos dedos, que por serem menos enervadas, causam menos dor.

Por mais que alguns aparelhos permitam que a amostra de sangue seja feita nos antebraços e nas coxas, essas regiões não são indicadas em pós refeição ou depois da prática de atividades físicas.

Insulina: tratamento mais eficaz para o controle da diabetes

Embora a indicação de uso da insulina possa assustar em um primeiro momento, principalmente nos casos de diabetes tipo 2, este é o tratamento mais eficaz para o controle do diabetes.

De tal forma que promove maior qualidade de vida, evitando que possíveis complicações decorrentes do diabetes surjam.

Contar com produtos de qualidade, para a realização do controle eficiente da glicose é possível, e você pode encontrar na Maconequi e receber tudo em tempo recorde na sua casa.

Blog com o objetivo de democratizar o conhecimento sobre diabetes e as formas de se prevenir e também cuidar dessa doença. Aqui você também encontra os melhores produtos para controle de glicemia.
Post criado 14

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.